Vieses Comportamentais: 3 armadilhas que te fazem perder dinheiro na bolsa de valores

Vieses Comportamentais: 3 armadilhas que te fazem perder dinheiro na bolsa de valores

Autor: Marjorie Ferro | 30 de Junho de 2020

Artigo originalmente publicado no site: https://marjorieferro.com/vieses-comportamentais

Você sabe porque o preço das ações é tão volátil?

Porque ele reflete o sentimento das pessoas em relação aquela empresa. E nem todo sentimento é racional. Na verdade, na maioria das vezes a gente simplesmente sente e só depois tenta explicar. 

Se você quer ganhar dinheiro investindo, você precisa conhecer e se prevenir em relação a algumas pegadinhas que a sua mente prega. Afinal, você pode estar perdendo muito dinheiro e nem se deu conta! 

São vários os vieses comportamentais que afetam os seus investimentos. Daria pra escrever um livro sobre isso. Mas tem 3 deles que eu considero como principais e que sempre percebo meus clientes sofrendo com isso. Não conta para ninguém, mas muitas vezes até eu mesma preciso lidar com isso, quando avalio a minha conta pessoal de investimentos.

Neste artigo vamos nos aprofundar nessas 3 pegadinhas mais comuns e em como você pode se “blindar” delas. 

Finanças Comportamentais versus Finanças Tradicionais

Temos duas escolas que versam sobre como os agentes se comportam no mercado financeiro. Uma é baseada no conceito tradicional e outra baseada no comportamental (behavioral finance).

De forma bem breve, o conceito tradicional de finanças indica que os investidores são avessos a risco, completamente racionais e que avaliam seus investimentos de forma global / integrada.

Já o conceito de finanças comportamentais (Statman, 1999) assume que os investidores são avessos a perda, possuem racionalidade limitada e segregam mentalmente seus investimentos.

Embora os conceitos pareçam próximos, o trabalho de Statman dá ênfase ao porquê pessoas de inteligência comprovada podem ter carteiras de investimentos péssimas.

Como os vieses comportamentais te fazem perder dinheiro

Eu conheço milhares de pessoas na internet te dizendo que ativo comprar. Mas tão importante quanto comprar no momento certo, é vender no momento certo.

Você só tem lucro quando você vende um ativo por um preço mais alto que você comprou. Toda a compra é feita com a expectativa de ganhar. Mas na venda, você tem certeza que ganhou ou precisa admitir que perdeu.

Os vieses comportamentais te fazem ter uma percepção distorcida da realidade, isso afeta os momentos de compra e de venda e fazendo muitas vezes você perder o timing do negócio. E lembre-se, time is money!

O Viés do Excesso de Confiança

A primeira armadilha que quero te apresentar é sutil e muitos consideram como um ponto forte, o excesso de confiança. Pesquisas mostram que as pessoas tendem a supervalorizar seus pontos fortes. Se você perguntar a um motorista se ele considera que dirige bem, verá que a maioria se considera bom e acima da média. Mas se pedíssemos para outras pessoas avaliarem, a média das notas seria muito menor.

Temos uma sátira no mundo corporativo que diz:

Se você acerta, é competência. Mas se você erra, foi o acaso.

Rádio Corredor (risos)

Quem tem o viés comportamental do excesso de confiança acredita demais na sua capacidade analítica e no seu feeling de mercado.

O grande problema de se confiar em excesso na própria capacidade é que você pode ficar “cego”. Sendo assim, você acaba sistematicamente assumindo risco elevado (desvio padrão da carteira muito alto) e você faz apostas injustificadas.

O investidor com excesso de confiança acaba sendo um apostador. E no final, quem sempre ganha é a mesa.

Para saber se você sofre com esse viés, se faça as seguintes perguntas:

  • Tenho um alto giro na minha carteira (faço muitas transações)?
  • Tenho menos retorno do que pago de custos de transação?
  • Raramente eu consigo superar o índice de referência (benchmark)?

O Viés da Aversão à Perda

O segundo viés comportamental é o que mais tem impacto nas suas aplicações e ele está por trás da maioria de todos os outros viéses, por isso considero ele importantíssimo de se conhecer, a aversão à perda.

Sabe quando você perde um jogo e começa uma nova partida só pra não admitir que perdeu? Se você é uma pessoa competitiva, você entende esse sentimento bem. Eu sei, porque sou assim também!

Mas o orgulho não faz mal só pra alma, o seu bolso paga caro por ele.

No conceito de finanças tradicionais se falava de aversão à riscos, mas o grande problema não é o risco, é perder. Segundo a Teoria da Perspectiva, nós sentimos muito mais a perda de um valor, do que sentiríamos o ganho do mesmo valor.

O impacto disso para os seus investimentos é que você acaba fingindo que não viu que algum ativo caiu, na esperança de que um dia ele volte. Assim, você deixa de aproveitar outros ativos com perspectiva melhor e fica com passivos perdedores ocupando espaço em excesso no seu portfólio.

Outro impacto comum, é que tentando compensar o prejuízo, faz-se movimentos excessivamente agressivos e com muitos riscos.

Veja se você se enquadra em algum desses comportamentos:

  • Não define um stop (perda máxima) no momento da compra, focando apenas no potencial de valorização.
  • Reluta em se desfazer de posições com prejuízo.
  • Tem sempre um feeling de que se deixar a ação ali, uma hora ela volta.

O Viés do Status Quo

Já o terceiro viés é o que mais vejo por aí! Considero que esse viés é o oposto do excesso de confiança, mas tão nocivo quanto. E muito comum para quem entende pouco de investimentos.

O Status Quo é quando você não faz nada em relação ao seu dinheiro! Pura inércia e procrastinação!

Assim como uma planta precisa ser regada e as vezes podada, os seus investimentos não vão florecer sem a atenção e cuidados necessários. Não se movimentar e manter o status quo te leva a nutrir sentimentos ruins em relação à investimentos e a ter uma carteira com risco inadequado.

Os movimentos de rebalanceamento de carteira são necessários para que a sua estratégia funcione e isso requer ação.

Alguns exemplos de quem sofre desse mal:

  • Aquela pessoa que ainda aplica na poupança mesmo sabendo que está perdendo dinheiro.
  • Quem usa a falta de tempo como desculpa para não fazer os movimentos ou não tomar as decisões necessárias.
  • Concentram seus investimentos em poucas empresas e naquelas que o nome lhes traz confiança (ex. a empresa em que trabalham).

Como Você Pode Driblar os Vieses Comportamentais

Há algumas formas de se blindar das pegadinhas da sua mente. As ações que considero como mais efetivas são:

  • Se manter bem informado
  • Criar um grupo de troca de ideias (com amigos por exemplo)
  • Ter um assessor de investimentos.

São formas simples e bem eficazes. Mas coloque todas em prática em conjunto para ter diversas fontes de informação.

Um assessor de investimentos é quem vai te assessorar e te dar os insumos que você precisa para tomar as melhores decisões. Mas ele não vai tomar as decisões por você. Até porque, não há ninguém melhor que você para decidir o rumo do seu dinheiro.

Conhecer essas armadilhas da sua mente, já te dá uma grande vantagem em relação a ela. Passe a ficar alerta e evite perder dinheiro!

E se precisar, conte comigo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
× How can I help you?