Investimentos em ouro: conheça 3 formas diferentes e saiba quando é o timing de investir nesse ativo.

Investimentos em ouro: conheça 3 formas diferentes e saiba quando é o timing de investir nesse ativo.

Autor: Giulia S. Tolusso | Data: 16/07/2020

O ouro sempre foi visto no mercado como um ativo de hedge, ou seja, uma proteção contra as oscilações do mercado dentro da sua carteira. Mas será que agora é a hora certa de investir nesse ativo?

Por quê investir em ouro?

O ouro é um dos bens mais escassos do mercado e investir nele é visto como uma forma de proteção, principalmente em cenários de queda da bolsa de valores. Como ele é um bem finito, seu valor não sofre muitas oscilações por intervenções econômicas. Podemos dizer que ele é um produto mais estável, ou seja, é um investimento que se valoriza a longo prazo.

Sua precificação é feita através da oferta e demanda, ou seja, quanto maior a procura, mais o preço cresce. Quanto menor a demanda, mais o preço se reduz. Tradicionalmente o ouro se valoriza quando os investidores não possuem uma perspectiva otimista em renda variável, no mercado de ações, ou quando há algum tipo de crise econômica e eles procuram proteger suas carteiras.

Como investir em ouro?

O investidor possui três formas diferentes de investir em ouro e seu investimento depende do mercado de sua escolha, que pode ser através de:

  • Bolsa de Valores
  • Fundos de Investimento em Ouro
  • Barras de Ouro

Bolsa de Valores

Uma das formas de investimento em ouro é através da bolsa de valores, a B3. Existem três contratos diferentes que são negociados no mercado:

  • OZ1D – 250g (padrão)
  • OZ2D – 10g (fracionário)
  • OZ3D – 0,225g (fracionário)

A diferença entre eles está na gramatura negociada nos contratos. O padrão é o OZ1D, os outros possuem menos liquidez. Para negociá-los, basta colocar o código no Home Broker e acessar as ordens de compra e venda.

Além disso, você pode negociar contratos futuros e opções.

Fundos de Investimento em Ouro

Os fundos são maneiras mais fáceis para o investidor entrar nesse mercado, pois sua gestão é feita por um profissional que possui o objetivo de proteger a carteira dos investidores e é responsável pela composição dos ativos. Quando você compra uma cota em um fundo de investimento de ouro, o fundo performa através da compra de contratos futuros ou à vista utilizando a B3. O risco está atrelado à precificação do mercado internacional e a remuneração do gestor é feita através da taxa de administração do fundo.

Um dos fundos mais populares é o Trend Ouro FIM, administrado pela XP Asset Managment. Ele já é antigo no mercado e nos últimos meses performou com uma boa rentabilidade para os investidores.

Barras de Ouro

Para comprar ouro em barra, é necessário encontrar uma instituição autorizada pela CVM e pelo Banco Central. Essa compra pode ser feita através de corretoras e bancos. Você pode levar ou deixar sob custódia da instituição, possivelmente pagando taxas de corretagem. Não é aconselhável levar a barra para a casa por questões de segurança. Esse tipo de ativo físico também é menos indicado para quem procura liquidez, dado que é difícil achar compradores que irão pagar o preço de mercado quando você decidir vender.

Quais são as vantagens e desvantagens do ouro?

Vantagens:

  • Proteção
  • Valor (bem finito, se valoriza ao longo do tempo)
  • Diversificação
  • Aquisição das barras
  • Diferentes opções de contrato
  • Rentabilidade

Desvantagens:

  • Não possui garantia do FGC
  • Preço tem interferência do clima (dificulta extração)
  • Contratos com liquidez tem preços mais altos
  • Se valoriza a partir de instabilidade econômica (preço cai quando o mercado está otimista)
  • Interferência do preço do dólar (se ele cair em comparação ao real, o ativo se desvaloriza)
  • Risco de roubo (quando está sob custódia do próprio investidor)

Taxas e Tributações

Antes de investir, é necessário analisar todas as taxas e tributações atribuídas ao ouro. Além da taxa de corretagem, há a taxa de custódia mensal, que é calculada através da cotação diária mais 0,07%, multiplicado pela aplicação e dividido por 30.

Em relação à tributação, se você virar o ano com o ativo em sua carteira, é necessário declarar o Imposto de Renda. Há isenção do IR caso o ativo obtenha uma rentabilidade menor que 20 mil reais.

Diante dessa crise, é recomendado o investimento em ouro?

O timing para investir em ouro é sempre antes de estourar uma crise, caso contrário, se você procura comprar ouro durante a crise, ele estará mais caro. Como o preço está se comportando de forma atípica devido à pandemia, pode se tornar um risco para o investidor, em vez de ser um ativo de proteção.

A dica, então, é manter um fluxo de caixa e não realizar prejuízos, e aí sim, investir em ouro com uma mentalidade de longo prazo, sempre preparado para eventuais novas quedas.

Para investir em ouro ou qualquer outro ativo, é necessário ter conhecimento. A educação financeira é fundamental para a sua vida e todo o planejamento do seu patrimônio; é a diferença entre viver com tranquilidade e ter diversos problemas financeiros. Pensando nisso, elaboramos o curso Formando Investidores, para que nossos alunos consigam tomar suas decisões, entendendo todos os riscos e benefícios, através da construção de um planejamento financeiro. Além disso, todos os alunos contam com assessoria vitalícia sem custo adicional nenhum.

O curso está disponível nas versões online e presencial, clique aqui para saber mais:

https://guruinvestidor.com.br/cursos/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
× How can I help you?